Close

outubro 14, 2016

O Brincar na Hora Lúdica com a Criança

JUSTIFICATIVA
Muitas são as áreas em que se faz necessário brincar com a criança para o exercício da prática profissional na especialidade, contudo nem sempre os profissionais estão preparados para realizar uma leitura e interpretação da brincadeira produzida pela criança ou com ela, no caso de atividade mais interativa, o que cria a necessidade de se gerar um espaço para essa reflexão. Conhecer aspectos psicodinâmicos da atividade do brincar auxilia o profissional no manejo dos elementos do seu trabalho, seja qual for sua especialidade e modalidade de ação. Nessa direção, estudar autores da Psicanálise que se voltaram ao entendimento da atividade lúdica infantil pode ser de grande auxílio.

OBJETIVOS
Refletir sobre o simbolismo presente na ação de brincar da criança no seu interjogo com o profissional que atua com ela.
Conhecer autores da Psicologia e Psicanálise que tratam do brincar no contexto da experiência de atendimento da criança.
Estimular o desenvolvimento de habilidades para a realização de uma leitura simbólica das brincadeiras da criança, dentro e fora da situação de atendimento.
Capacitar o profissional a identificar aspectos transferenciais e contra-transferenciais no interjogo da brincadeira entre a criança e o profissional que a atende.
Desenvolver a percepção de uma leitura sistêmica do sentido da brincadeira da criança, no contexto de um atendimento de grupo familiar.

PÚBLICO-ALVO
Psicólogos, psicanalistas, profissionais de saúde, educadores e terapeutas familiares. Estudantes de últimos anos de Graduação em áreas afins.

CARGAHORÁRIA
40 horas

COORDENAÇÃO
Dra. Maria Luiza Dias Garcia

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
A – O ATO DE BRINCAR NA INFÂNCIA E NA SESSÃO DE ATENDIMENTO:
Donald Winnicott e “O Brincar e a Realidade”.
Virginia M. Axline e a “Ludoterapia”.
Melanie Klein e a “Técnica analítica do brincar”.
Arminda Aberastury e a “Hora do jogo diagnóstica”.
Alicia Fernandez e a “Hora do Jogo Psicopedagógico”.

B – BRINCANDO COM A CRIANÇA:
Material lúdico.
A caixa lúdica.
A caixa de areia.
O contar histórias.
O desenho.
Jogos.

C – INTERPRETAÇÃO NO ESPAÇO LÚDICO:
A observação dos papeis que a criança assume nos jogos.
A criação de um espaço potencial (Winnicott) por meio do brincar.
A tarefa interpretativa do analista de criança

[contact-form-7 404 "Not Found"]